Fatores que afetam a qualidade e a eficiência da peletização

A qualidade do pellet é refletida principalmente na vulnerabilidade do pellet, seja na sua dureza, na sua aparência (se a superfície está rachada, no brilho, na cor etc.) e no comprimento.  É variada a qualidade do pellet.

  1. A influência do tamanho de partícula da matéria-prima na eficiência e qualidade da peletização

As matérias-primas podem ser divididas em partículas grossas, médias e finas. Geralmente, partículas grossas têm diâmetro acima de 3 mm. As partículas médias e finas têm boas propriedades de granulação, baixo consumo de energia e menos abrasão para a matriz e o rolo. Comparadas às partículas grossas, as partículas médias e finas têm uma área superficial mais específica em contato com o vapor durante o condicionamento.

O vapor é fácil de penetrar nos núcleos de pequenas partículas e causar alterações físicas e químicas, o que melhora a qualidade do pellet.

Como mostrado na Figura 1, os núcleos das partículas médias e finas (os dois pequenos cubos à esquerda) são fáceis de serem penetrados pelo vapor. Mas o vapor não pode penetrar através do núcleo da partícula grossa (o grande cubo à direita), deixando um núcleo seco.

Entrada de vapor na matéria prima
Fig 1

Penetração de vapor em diferentes tamanhos de partículas

(a) Partículas finas
(b) Partículas grossas

É mais provável que as matérias-primas de partículas grossas se quebrem após a granulação (como mostrado na Figura 2).

Materiais médios e finos têm alta densidade de partículas prensadas (como mostrado na Figura 3) e melhor capacidade de passar pelos furos do molde (como mostrado na Figura 4), com menos abrasão nos furos do molde e maior rendimento.

Conforme mais processado, triturados bem, o custo de produção é aumentado. O tamanho ideal de partícula é uma combinação razoável de materiais grossos, médios e finos. Tomemos como exemplo a produção de ração de pellets de animais e aves de Ф6mm.

Fissura no Pellet
Fig 2

Fissura nas partículas após compressão
(a)Partícula Fina
(b) Partícula Grossa

Densidade das Particulas
Fig 3

A densidade das partículas depois da peletização
(a) Partícula fina
(b) Partícula Grossa

Compressão das particulas pellet
Fig 4

A capacidade das partículas passarem pelo orifício do molde
(a) Partícula fina
(b) Partícula Grossa

– Tamanho de partícula de matérias-primas
– Taxa de distribuição

Para ração de camarão com Ф2mm, 85% das matérias-primas devem passar por uma peneira com malha 40. Agora, o diâmetro mínimo do orifício do anel é de 0,8 mm; portanto, o diâmetro máximo das matérias-primas para granulação não deve ser superior a 1/3 do diâmetro do orifício.

Assim sendo, as matérias-primas devem passar pela peneira de malha 60 (0,267 mm) após a trituração para atender ao requisito de tamanho de partícula.

         2. A influência da densidade de ração na eficiência de granulação

A eficiência do pellet está relacionada à densidade das matérias-primas. Os materiais leves têm densidade menor que 0,33t / m³; materiais pesados ​​têm densidade superior a 0,4 t / m³.
Por exemplo, ao usar alfafa com densidade de 0,22 t / m³, a saída é de 4 t / h.  Ao usar pó de semente de algodão com densidade de 0,53t / m³, a produção é de 16t / h.

  1. A influência do teor de proteínas na eficiência de granulação

    As matérias-primas de alta proteína (geralmente com alta densidade), como pó de soja e algodão, são extrusadas por molde e rolo no processo de granulação, resultando em calor de atrito, propício à granulação. No entanto, para alimentos com alto teor de proteínas (como alimentos para bezerros e alimentos concentrados), uma grande quantidade de pó ou uréia deve ser adicionada durante a granulação, para obter um melhor efeito de granulação.

  2. A influência do teor de gordura na eficiência da granulação
    A gordura é um ótimo lubrificante para granulação. Pode aumentar a produção, reduzir a abrasão e prolongar a vida útil do rolo e da matriz. O alimento em si contém gordura e também podemos adicionar gordura antes da granulação. Um teor excessivo de gordura como 6% afetará a granulação, pois as partículas podem ficar macias e difíceis de serem moldadas. Se as partículas com alto teor de gordura (mais de 3%) forem necessárias, 1 a 2% de gordura podem ser adicionadas durante a mistura e o restante pode ser adicionado por pulverização após granulação.
  3. A influência do teor de fibras na eficiência da granulação

    A fibra tem efeito adverso na peletização. Pode reduzir a saída e acelerar a abrasão do furo. Existem dois tipos de fibras, uma mais fibrosa, como alfafa, caule de broto doce, caule de batata-doce, etc., a outra é fibra sem casca, como aveia, soja, semente de algodão, casca de amendoim, etc. absorver o vapor e amolecer durante o condicionamento e desempenhar um papel de aglutinante nas partículas, melhorando a resistência das partículas; enquanto a fibra com casca não pode absorver o vapor e desempenha um papel de dispersão nas partículas, afetando a qualidade das partículas.


    Fonte:  Engenharia de Equipamento e tecnologia de processamento de alimentos para animais